domingo, 31 de maio de 2009

Governo do Rio lança Fundo da Mata Atlântica

O Governo do estado do Rio de Janeiro lança, amanhã (01), o Fundo da Mata Atlântica (FMA), mecanismo financeiro e operacional, desenvolvido pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) que pretende dar mais agilidade, eficiência e transparência à execução de todos os projetos voltados para os parques e reservas estaduais, bem como para aqueles destinados à preservação e recuperação da biodiversidade fluminense.

O Fundo vai operar com quatro carteiras distintas, dentre elas, a mais importante é a destinada à execução de projetos com recursos das medidas compensatórias por grandes empreendimentos industriais. Doações provenientes de doadores nacionais e internacionais e um fundo fiduciário, de caráter permanente, que visa assegurar as despesas de custeio das unidades de conservação estaduais, como os parques, reservas biológicas e estações ecológicas, também fazem parte das operações.

A expectativa é que, em quatro anos, o FMA movimente recursos da ordem de R$70 milhões, e em caráter experimental já foram executados, com sucesso, R$3,1 milhões nas carteiras de compensações (compensação ambiental da empresa CSA) e doações (do banco alemão KFW e do próprio Funbio).

Fonte: Assessoria de Comunicação da SEA

sábado, 30 de maio de 2009

Sesc Tijuca comemora Meio Ambiente com teatro cinema e música


O Sesc Tijuca comemora a Semana Mundial do meio Ambiente com extensa programação cultural. Teatro, cinema, música, exposições, palestras e feira com produtos ecológicos, além de oficinas e caminhadas, serão as ferramentas usadas para alertar crianças, jovens e adultos sobre a importância da preservação do planeta.
A programação começa na segunda-feira, com a peça o Jardim do Rei D. João e o Horto Real, que conta a história da criação do Jardim Botânico do Rio, e vai até o dia 07. Mas amanhã, às 11h, haverá apresentação especial da peça infanto-juvenil De Pernas Pro Ar. Veja a programação completa clicando aqui.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Semana do Meio Ambiente começa com mutirão de limpeza nas praias do Rio

Um grande mutirão de limpeza das areias cariocas marcará o início oficial da Semana Mundial do Meio Ambiente, que começa neste sábado. Iniciativa da Fundação Aqualung, com apoio de vários orgãos dos governos Municipal, Estadual e Federal; empresas; e Organizações não governamentais, o mutirão visa a conscientizar a população sobre o descarte correto do lixo.

Serão distribuídas aos voluntários 20 mil sacolas plásticas biodegradáveis e compostáveis - feitas à base de milho. A coleta será feita em duplas e o material recolhido será doado a cooperativas e entidades que promovem reciclagem.

O mutirão acontecerá simultaneamente, de Copacabana a Sepetiba e na Ilha d Paquetá, das 10h às 13h.

Pontos de Encontro:
- Praia de Copacabana:
A) No Posto Seis, onde os voluntários seguirão em arrastão até a rua Santa Clara;
B) Em frente à Rua Rodolfo Dandas;

- Praia de Ipanema:
A) Na Pedra do Arpoador (Posto 7), os voluntários estarão caminhando em direção à rua Garcia D´Avila;

- Praia da Barra da Tijuca:
A)No Quebra-Mar em direção à Barraca do Pepê;

- Praia do Recreio:
A)Na Praça TIM MAIA;

- Praia de Sepetiba:
A)No "Coreto";

- Ilha de Paquetá:
A)Na Praia da Moreninha.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Mortandade de peixes em Mangaratiba

Técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) da Secretaria Estadual do Ambiente sobrevoaram nesta segunda-feira e região de Mangaratiba e constataram mortandade de peixes. Desde sábado, várias ligações para disque-denúncia do órgão (2332-4604)informavam o fato, confirmada ontem.

Segundo o órgão, até o momento análises indicam a presença de formações algais dos gêneros Chaetoceros e Pseudo-nitzschia (diatomáceas) e Karenia (dinoflagelado), que podem estar relacionadas ao problema, mas os exames ainda não são suficientemente conclusivos.

Novas análises da água da região continuarão a ser feitas até que se possa concluir se há alguma relação entre a proliferação das algas e a morte de peixes.

Governo vai distribuir cartilha sobre Lei da Mata Atlântica

O Ministério do Meio Ambiente vai preparar uma cartilha para apresentar, em linguagem simples e direta, os principais pontos da Lei e do Decreto da Mata Atlântica, destacando não apenas os tipos de uso e ocupação proibidos mas também que atividades podem ser desenvolvidas e como elas devem ser realizadas.

A publicação será distribuída nos 3411 municípios dos 17 estados de ocorrência de Mata Atlântica para disseminar as informações corretas e evitar que principalmente os pequenos agricultores e as comunidades tradicionais sejam alvo de deturpações e "terrorismo", táticas que os grandes proprietários rurais estão utilizando para angariar o apoio dos pequenos às suas tese anti-ambientalistas.

O anúncio foi feito pelo ministro Carlos Minc no sábado (23), em palestra na mesa redonda sobre legislação ambiental que encerrou as comemorações da Semana Nacional da Mata Atlântica, mas não divulgou a data de início da distribuição.

Fonte: Ascom MMA

EUA querem navios longe da costa

A Agência de Proteção Ambiental (EPA) norte-americana planeja estabelecer um regime de controle de emissão de poluentes pelos navios dentro de quatro anos. Uma pesquisa recente mostrou que os navios emitem poluição equivalente à metade da frota mundial de carros.

A regulamentação deverá atingir não apenas os navios que aportam, mas a todos aqueles que navegam no limite de 370 quilômetros da costa do país. A EPA estima que mesmo os navios norte-americanos precisem cortar as emissões de enxofre em 98% para se adequar às normas.

Para isso, os navios terão que passar a consumir combustível mais limpo ou instalar filtros e catalisadores que capturem a poluição emitida.

Do mar para a terra

O maior impacto da poluição emitida pelos navios recai sobre a população que vive nas zonas costeiras. Isso porque 70% do tráfego marítimo se dá dentro da zona de até 400 km das regiões costeiras ao redor do mundo.

Outra pesquisa, concluída recentemente na Universidade de Oslo, na Noruega, dá conta de que os navios são responsáveis pelo aumento da chuva ácida em terra e geram mais de 25% do ozônio ao nível do solo em várias regiões costeiras.

Bill Clinton participa de encontro de usineiros em São Paulo


Começa dia 1º e vai até 3 de junho o Ethanol Summit, encontro organizado pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) que ocorrerá no auditório principal do Sheraton WTC Hotel, em São Paulo.

O primeiro dia de discussões sobre tecnologia, sustentabilidade, mercado e investimentos, e futuro, eixos das palestras do Ethanol Summit deste ano, será encerrado pelo ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, principal convidado internacional desta edição. Quase 150 palestrantes do Brasil e de todos os continentes já estão confirmados para os 25 painéis e seis sessões plenárias, incluindo uma plenária especial organizada pela revista The Economist.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá participar da abertura, na manhã do dia 1º, e o governador de São Paulo, José Serra, deverá estar no encerramento do encontro. Informações sobre o encontro e o formulário para inscrições estão disponíveis na página do Ethanol Summit na Internet.

Governo atrasa divulgação de mapa com zoneamento agroambiental da cana-de-açucar

O site Inovação, da Universidade de Campinas (Unicamp), publicou, ontem, matéria na qual afirma que o zoneamento agroambienteal da cana-de-açucar, encomendado pelo Governo Federal a um grupo de pesquisadores, está pronto há mais de um ano mas até agora não foi divulgado por razões políticas. Segundo a matéria, até o site com o mapeamento das áreas boas e ruins para o plantio já está pronto, mas uma queda de braço entre os ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura travou a divulgação.

O zoneamento servirá como instrumento de política pública; não impedirá que se cultive cana em áreas não favoráveis, mas o produtor que plantar cana em áreas assim não receberá crédito agrícola, por exemplo. No zoneamento, áreas florestadas, a Bacia do Alto Paraguai, todo o Pantanal e toda a Amazônia, regiões em que há produção de grãos e em que a declividade não permite a mecanização da colheita — ou seja, nas quais seria necessária a queima da cana — estão fora da classificação, pois não é permitido o cultivo.

Questionamentos de produtores a respeito das limitações relacionadas à Bacia do Alto Paraguai e a falta de consenso entre os Ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura travaram a divulgação do zoneamento. Disputas políticas, como a pressão de produtores e governos estaduais — o do Rio Grande do Sul, por exemplo, queria no zoneamento uma área de 300 milhões de hectares livres de restrições para cultivo de cana, mas acabou com 60 milhões de hectares, depois dos estudos —, também atrasaram o cronograma.

Fonte: Site Inovação Unicamp

quinta-feira, 21 de maio de 2009

MMA reúne lideranças empresariais em busca de soluções para banimento dos CFCs

O Ministério do Meio Ambiente reúne, no dia 28, no Hotel Jangadeiro, em Recife, lideranças de setores empresariais em busca de soluções alternativas para substituição dos derivados de hidrocarbonetos, como o CFC e HFC, em geladeiras e ar-condicionados domésticos, automotivos e industriais.

Essas substâncias são as principais responsáveis pela redução da camada de ozônio, que protege a terra contra os raios ultravioletas capazes de causar doenças como o câncer de pele e contribuírem para o agravamento das mudanças globais.

O evento tem apoio de importantes associações de fabricantes e distribuidores de equipamentos que ainda utilizam o hidrocarboneto em seus processos de fabricação de sistemas de refrigeração.

A proposta do encontro é apresentar as novas tecnologias capazes de substituir os CFCs e HFCs com a mesma eficiências e que ao serem descartadas após a vida útil, principalmente dos refrigeradores e ar-condicionados sobem para as camadas superiores da atmosfera destruindo o ozônio que protege o planeta.

A redução do uso de substâncias nocivas à camada de ozônio é prevista pelo Protocolo de Montreal, do qual o Brasil é signatário.

A fabricação, uso e importação de produtos com essas características serão banidas até 2040. O processo teve início na década de 90 e será desenvolvido por etapas. O País estuda programas de substituição subsidiada das geladeiras domésticas que ainda funcionam com hidrocarbonetos e o financiamentos de plantas de reciclagem de produtos à base de substâncias derivadas que não podem ser descartadas diretamente no ambiente.

Fonte: Ascom MMA

Holcim Awards premia melhores projetos de construção sustentável do mundo

Foram anunciados no dia 8 de maio, em Zurique, na Alemanha, os vencedores do segundo ciclo do Global Holcim Awards. O júri, formado por especialistas em arquitetura e sustentabilidade, escolheu o projeto de recuperação de um rio no Marrocos como o vencedor principal da premiação.

Um campus universitário em área verde no Vietnã recebeu o segundo lugar e o terceiro colocado foi um projeto de estratégia de planejamento rural na China. Já o prêmio “Innovation" foi concedido ao projeto de um abrigo para trabalhadores diaristas, na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos.

Um dos principais vencedores da etapa América Latina, com 5 projetos premiados, o Brasil teve dois representantes concorrendo na edição Global: o projeto da midiateca da PUC Rio do Rio de Janeiro, projetado por Angelo Bucci da SPBR arquitetos (vencedor do Silver Award - América Latina); e o projeto de uma torre multifuncional compacta, que abriga uma cisterna para coleta de água de chuva, a caixa de água e um equipamento coletor solar para aquecimento de água de autoria de Maria Andrea Triana, Roberto Lamberts e Marcio Antonio Andrade da LabEEE da UFSC, Florianópolis (vencedor do Bronze Award – América Latina).

O Holcim Awards é o maior prêmio do mundo para projetos de construção sustentável. Promovido pela Holcim Foundation for Sustainable Construction, com sede na Suíça, ele é realizado em ciclos de três anos, compostos por cinco etapas regionais e uma mundial. Das cinco etapas regionais, realizadas em 2008, participaram quase 5.000 projetos e visões de construção sustentável, procedentes de 121 países. Os vencedores dos Gold, Silver e Bronze Awards em cada região qualificaram-se automaticamente para o concurso Global Holcim Awards de 2009.
Nesta edição foram oferecidos prêmios em dinheiro no valor de 2 milhões de dólares.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Holcim

Os edifícios devem mudar para alcançar as metas globais de energia


O relatório “Transformando o Mercado: Eficiência Energética em Edifícios” (“Transforming the Market: Energy Efficiency in Buildings”), lançado no dia 27 de abril pelo Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (WBCSD, sigla em inglês), mostra como a utilização da energia em edifícios pode ser reduzida em cerca de 60 por cento até 2050 – o que é essencial para alcançar as metas globais de mudanças climáticas. Porém é necessária uma ação imediata para transformar o setor.

Esta é a mensagem central da publicação, um projeto de pesquisa com custo de US$ 15 milhões e duração de quatro anos, que se tornou no mais rigoroso estudo já realizado sobre o assunto. O lançamento ocorreu durante o Fórum & Exposição de Eficiência Energética Global ("Energy Efficiency Global Forum and Exposition"), em Paris. O relatório também será lançado em Washington, nos Estados Unidos, e em Pequim, na China.

De acordo com o presidente do WBCSD, Björn Stingon, "a eficiência energética está tornando-se rapidamente e de forma definitiva numa das questões do nosso tempo, e os edifícios são um dos maiores entraves existentes. As edificações utilizam mais energia do que qualquer outro setor e, como tal, são um dos principais colaboradores para as alterações climáticas".

"A menos que haja uma ação imediata, milhares de novos edifícios serão construídos sem qualquer preocupação com a eficiência energética, e milhões de edifícios ineficientes já existentes permanecerão utilizando mais energia do que o necessário em 2050. Agir agora significa reduzir seu consumo de energia e fazer progressos reais no controle das alterações climáticas”, afirmou Stingson.

"O mercado por si só não será capaz de fazer as mudanças necessárias. A maioria dos proprietários e ocupantes dos edifícios não conhecem o suficiente e não se importam o suficiente sobre o consumo de energia, o que é reforçado com a inércia do pressuposto de que os custos são demasiadamente altos e a economia muito pequena. É por isso que estamos pedindo esforço maior, e mais coordenado e global sobre o tema. Com a criação deste esforço poderemos cortar emissões ao mesmo tempo que estimulamos o crescimento econômico", finalizou.

O projeto teve uma abordagem de mercado orientada para a compreensão das barreiras para um menor gasto de energia. A utilização da energia por tipo de construção foi analisada em função dos milhões de edifícios novos, dos já existentes e dos projetados para 2050, levando em consideração diferenças como o clima e o design. Através do uso de simulações no computador, os pesquisadores foram capazes de mostrar a resposta do mercado às diversas combinações financeiras, técnicas, comportamentais e de opções políticas, identificando a melhor combinação para alcançar transformação para cada mercado estudado. O relatório resultante do projeto faz seis recomendações principais:

1- Reforçar a construção dos códigos e rótulos de energia a fim de aumentar a transparência;
2- Utilizar subsídios e preços compatíveis para incentivar investimentos energeticamente eficientes;
3- Incentivar uma abordagem integrada e inovadora do design;
4- Desenvolver e utilizar tecnologia avançada para permitir comportamentos que reduzam a energia;
5- Desenvolver mão-de-obra apta para reduzir energia;
6- Mobilizar uma cultura atenta pra os gastos de energia.

A versão impressa e em outros idiomas do relatório estarão disponíveis nos próximos meses. O documento na versão online em inglês pode ser acessado em: http://www.wbcsd.org/Plugins/DocSearch/details.asp?DocTypeId=251&ObjectId=MzQyMDY

Fonte: Assessoria de Imprensa do CEBDS

INBRAVISA lança campanha para Incentivar lavagem das mãos


Uma medida fácil e que ajuda muito no combate a trasnmissão de doenças: lavar as mãos. Em tempos de gripe suína, a lavagem das mãos ganha destaque ainda maior.

Segundo o Instituto Brasileiro de Auditoria em Vigilância Sanitária (INBRAVISA), no caso da gripe suina, o ato de lavar as mãos pode ser uma medida de prevenção mais eficaz do que usar máscaras cirúrgicas. "Ao espirrar, normalmente as pessoas levam a mão à boca e nariz. O vírus influenza permanece vivo nas mãos por até 15 minutos e nas superfícies por até 48 horas, e nesse período todas as pessoas e objetos ou superfícies que forem tocadas serão contaminados", explica Rui Dammenhain, diretor do INBRAVISA .

O virus da influenza, porém , não é o único vírus que tem vida longa fora do corpo humano. O rotavírus, que provoca vômito, diarréia e febre, especialmente em crianças menores de cinco anos, pode permanecer vivo por até duas semanas em superfícies e objetos como brinquedos, por exemplo.

"A lavagem das mãos depois da troca de fraldas , principalmente em creches e bercários, é essencial para evitar a contaminação pelo rotavírus", alerta Dammenhain.

Nesta época do ano, outono, onde as temperaturas ficam mais baixas, o ato de lavar as mãos é ainda mais importante: dados apontam um grande aumento de casos de problemas de saúde, e os atendimentos médicos registram aumento de quase 50%.

A campanha de mobilização para sensibilzar as pessoas a lavarem as mãos será feita através de cartazes e mensagens via e-mail.


Fonte: Gerência de Comunicações - INBRAVISA

Parceria com franceses pode criar primeiro poço de carbono no Pará

Uma missão francesa constituída por empresários e instituições ambientais está no Pará com o objetivo de discutir parceria para um projeto de crédito de carbono na Reserva extrativista Ipaú/Anilzinho, no município de Baião, região nordeste do estado. Uma vez firmada, a parceria viabilizará a implantação do primeiro poço de carbono do Pará.

Um poço de carbono é criado a partir de florestas plantadas que absorvem CO2 liberado na atmosfera. No mês de março, com apoio do Governo do Estado, a comunidade já plantou 48 mil mudas de andiroba e açaí, em uma área de 120 hectares da Resex Ipaú-Anilzinho. A área total tem pouco mais de 55 mil hectares, dos quais quase 10 mil estão desmatados.

O plantio foi uma iniciativa do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (Ideflor), atendendo solicitação dos dirigentes da Resex, com apoio do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural- Emater/Baião e do Escritório Nacional de Florestas-Internacional (ONFi), agência que fez o estudo de viabilidade para a implantação do poço de carbono.

A ação teve o objetivo de recuperar o passivo ambiental e oferecer alternativas sustentáveis para a economia dessas famílias.

Fonte: MaxPressNet

Governo promove limpeza de rios na região metropolitana do RJ

O “Programa Limpa Rio” chega oficialmente nesta sexta-feira (22)ao município de Itaboraí, na região metropolitana do Rio. O início das obras será anunciado pelo governador Sérgio Cabral e pela secretária estadual do Ambiente, Marilene Ramos. O projeto da Secretaria Estadual do Ambiente (SEA) que, desde abril de 2008, quando começou, já atendeu a 47 municípios, beneficiando cerca de 635 mil pessoas, consiste na limpeza de rios, canais e lagoas.

O evento que terá a participação do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc e do presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Luiz Firmino Martins Pereira, será nesta sexta-feira (22/05), às 11h, na Praça Marechal Floriano Peixoto, em frente à Câmara Municipal, no Centro de Itaboraí. As obras no município, que beneficiarão 100 mil habitantes, serão realizadas nos rios Iguá e Tambutai, no canal Tambicu e no córrego Fundo, com investimento em torno de R$ 333 mil do Fundo Estadual de Recuperação Ambiental (Fecam).

Para receber o programa Limpa Rio em seu município a prefeitura tem que se comprometer com medidas compensatórias: retirar moradias de beira de rio, melhorar a coleta de lixo, combater o lançamento de lixo nos rios, repor vegetação nas margens dos rios e nas áreas de nascentes.

Fonte: Ascom SEA

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Jovens empresários discutem ações de Sustentabilidade em fórum no Rio

A Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) promove, nestas quarta e quinta-feiras (21 e 22 de maio), no Rio de Janeiro, o I Fórum Renovar Conaje de Sustentabilidade, evento que pretende disseminar o conceito de sustentabilidade tendo como principais fios condutores os empresários e estudantes.

O Fórum será um espaço dedicado à experimentação de situações que reflitam sobre a saúde e sobre o bem estar, proporcionando o cruzamento dos temas centrais do conceito de sustentabilidade com as práticas empresariais mais modernas.

Segundo a diretoria da Conaje, o objetivo do fórum é sensibilizar estudantes e empresários, de diversos setores da economia, para novos conhecimentos e encontrar experiências bem sucedidas em áreas de crescente relevância: Energias Renováveis, Construção Sustentável, Ecologia Urbana, Responsabilidade Social. Além de estimular competências que são decisivas para a condução dos processos empresariais: Negociação, Gestão de conflitos, Comunicação.

Serão convidados empresários, representantes das instâncias governamentais e de organizações da sociedade civil. A rede de contatos estabelecida deverá resultar em um conjunto de ações que se traduzam em benefícios concretos para a sociedade.

Paralelo ao Fórum, serão promovidos encontros e workshops entre empresários e empresas para apresentação de propostas e parcerias de soluções sustentáveis.

O evento será realizado nos auditórios da Associação Comercial do Rio de Janeiro, na Rua da Candelária, 09 - Centro - Rio de Janeiro -RJ.

Fonte: Conaje

domingo, 17 de maio de 2009

Falta de engajamento ou incompetência

Uma grata surpresa na visita ao Feirão da Casa Própria, promovido pela Caixa Econômica Federal, que acontece até hoje, no RioCentro, Rio de Janeiro, foi encontrar o estande de Furnas e Eletrobras, onde funcionários das duas estatais mostravam ao público simulações para consumo responsável de energia elétrica e distribuíam cartilhas com dicas de redução de consumo para o dia a dia.

Apesar da importância do trabalho e de o mesmo estar sendo feito por duas das mais mportantes estatais brasileiras, porém, o estande estava escondido nos fundos do pavilhão, onde as pessoas só passavam a caminho do banheiro e, no momento em que por lá passei, era o ÚNICO, repito em voz alta, ÚNICO, vazio, com os educadores sentados à espera de alguém para ouvir tão importantes conselhos.

Talvez, dirão alguns, a razão para não haver procura pelas informações seja porque o público que estava lá procurava oportunidades de compra da casa pópria e não tenha dado atenção ao trabalho.

Pode ser, mas acho que o panorama seria outro se o estande estivesse colocado em um lugar de maior destaque, mais próximo à entrada. Com certeza o trabalho dos educadores daria mais frutos e mais pessoas, não importa se estivessem à procura de casa para morar ou, como eu, apenas passeando, sairiam de lá um pouco mais conscientes.

Não sei quem escolhe ou escolheu a localização para o estande das duas estatais. Se os gênios do Marketing das empresas ou os organizadores da feira, mas fica aqui meu protesto.

Uma oportunidade tão boa de levar educação ambiental à população não pode ser desperdiçada por causa da falta de engajamento de algum servidor ou por razões econômicas.

Sobrou oportunidade mas faltou ATITUDE.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Ampla apresenta carros movidos a eletricidade


A Ampla,concessionária de distribuição de energia elétrica do Rio de Janeiro, apresentou nesta sexta-feira (15) dois carros elétricos que farão parte de sua frota e serão usados no município de Niterói, na Região Metropolitana.

A apresentação dos novos veículos foi na sede da empresa, em Niterói, e contou com a presença do ministro Carlos Minc, do governador Sérgio Cabral, da secretária Estadual do Ambiente, Marilene Ramos, e do prefeito Jorge Roberto da Silveira.

A Ampla é a primeira empresa do país a usar veículos movidos a energia elétrica. Importados da Índia, os carros do modelo Revai têm emissão zero de CO2 para a atmosfera, autonomia de 80 quilômetros e podem atingir velocidade de até 80Km. O veículo também não emite ruído, o que também colabora para a diminuição da poluição sonora.

O ministro Carlos Minc lembrou que o programa de troca de geladeiras usado pelo Governo Federal nasceu de um projeto da empresa, que oferece aos clientes a troca de geladeiras antigas por novas, mais econômicas e que não usam o Clorofluorcarbono (CFC), como parte do programa de Eficiência Energética.

Minc e Cabral deram uma volta pelo pátio da empresa dirigindo os carros elétricos. Cabral se mostrou empolgado, disse que o exemplo da Ampla deve ser seguido por outras empresas e prometeu estudar incentivos fiscais para aquelas que optarem pelo uso de carros movidos a energia limpa.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Projetos brasileiros ganham prêmio ambiental da ONU

Três projetos de sustentabilidade do Brasil venceram o Prêmio Semente 2009, anunciado na segunda-feira (11) na sede das Nações Unidas, em Nova York. O Prêmio é concedido a parcerias entre ONGs, comunidades locais e governos a ideias originais de desenvolvimento sustentável.

A iniciativa é coordenada pela agência de Meio Ambiente das Nações Unidas (Pnuma) e o Programa de Desenvolvimento (Pnud). A edição deste ano saiu para 19 países e mais de 80 organizações.

Os programas do Brasil premiados são "Programa um Milhão de Cisternas", que prevê a construção de tanques domésticos para a coleta da água da chuva nas regiões semi-áridas; "O Uso Sustentável de Sementes Amazônicas", que visa a geração de renda através da produção de óleos feitos com sementes; e o "Projeto Piabas do Rio Negro", que tenta promover a pesca comercial e ecologicamente sustentável de peixes ornamentais.

É a terceira vez que iniciativas brasileiras são contempladas pelo prêmio. Em 2007, o Semente saiu para o "Projeto Bagagem". Já no ano passado, o vencedor foi o "Pintadas Solar", um projeto aplicado no município de Pintadas, na Bahia, que se beneficia de tecnologias da irrigação para se adaptar às mudanças climáticas.

Thais Corral, uma das representantes da ONG que coordena a iniciativa, contou à Rádio ONU, em Nova York, como o prêmio ajudou a promover o projeto: "Nós estamos, através do prêmio, recebendo suporte técnico de todas essas articulações para a escala do projeto, pois ele é uma semente, mas que demonstra qualidades e possibilidades de ganhar escala".

Thais, que está em Nova York para participar da 17ª Comissão de Desenvolvimento Sustentável, disse que a proposta pode ser levada a zonas áridas do nordeste brasileiro.

"Um projeto que tem essas características, que traz tecnologia, parcerias, microcrédito e possibilidade de comercialização é muito importante para a região. Nós esperamos que ele possa se expandir por outros municípios da Bahia primeiro, e depois nos outros estados do nordeste", diz ela.

Outros países que receberam o Prêmio Semente foram África do Sul, Bangladesh, Colômbia, Moçambique, entre outros.

Ouça a notícia aqui

China é a líder mundial no patenteamento de tecnologias sobre energia eólica

A Ásia lidera os esforços mundiais para transformar a energia eólica numa fonte alternativa e sustentável, reduzindo a dependência do petróleo. Prova disso é que a China lidera o ranking mundial de pedidos de patentes sobre esta matriz energética, com 746solicitações no segundo semestre de 2008, bem à frente dos Estados Unidos, com 192.

Os dados fazem parte do estudo “Pedidos de patentes sobre energia eólica e tecnologias correlatas”, sexto da série “Alerta Tecnológico”, produzida pelo Centro de Divulgação, Documentação e Informação Tecnológica (Cedin) do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Seu objetivo é fornecer às empresas e centros de pesquisa brasileiros informações sobre as principais tendências no patenteamento em determinados setores tecnológicos e sobre a origem dos pedidos de patentes.

A lista de países segue com a Alemanha em terceiro lugar, somando 179 pedidos internacionais no segundo semestre de 2008. A quarta posição é de outro país asiático: o Japão, com 149 solicitações. A Dinamarca aparece em quinto lugar.

O Brasil não aparece nem entre os dez primeiros do ranking.

Fonte: INPI

quarta-feira, 13 de maio de 2009

MPF contesta licenciamento ambiental do Comperj

O Ministério Público Federal (MPF) recorreu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região contra a decisão que validou o processo de licenciamento ambiental do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

O procurador da República Lauro Coelho Junior, autor do recurso, alega que a Justiça Federal em Itaboraí desconsiderou três irregularidades na concessão das licenças pelo Estado: o fracionamento da avaliação dos impactos ambientais, a inexistência de avaliação ambiental integrada e a apressada concessão da licença de instalação.
A decisão da 1ª instância focou a análise apenas na não-observância da competência do Ibama para o licenciamento, que foi um dos vícios apontados pelo MPF.

"O indevido fracionamento da avaliação dos impactos impede o exame preciso da dimensão do Comperj e até impossibilita à Justiça decidir de maneira segura de quem é a competência para licenciá-lo. Um licenciamento ambiental rigoroso permitirá, sem dúvida, que o complexo opere em um meio ambiente equilibrado", afirma o procurador Lauro Coelho Junior.

Para garantir a regularização do licenciamento do Comperj, o MPF pede a imediata suspensão dos efeitos das licenças concedidas. O MPF quer ainda proibir o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) de aprovar qualquer obra no local e a Petrobras, responsável pelo Comperj, de continuar a implantar o empreendimento sem a devida licença ambiental do Ibama. Se o TRF acolher esses pedidos, o Inea e a Petrobras estariam sujeitos a multa diária em caso de descumprimento.

O MPF relata ao TRF-2 que o processo inclui informações técnicas que contrariam as conclusões da Feema (atual Inea) e embasam a contestação à avaliação inadequada dos impactos ambientais do Comperj. Entre as falhas apontadas, destaca-se a falta de informação sobre a origem da água para abastecer o complexo. Segundo os especialistas do MP Estadual consultados pelo MPF, a ausência desse dado impede a identificação segura da Área de Influência Direta (AID) do Complexo, o que invalida o diagnóstico ambiental apresentado.

Além de atuar judicialmente na prevenção a danos ambientais do Comperj, o MPF continua a acompanhar os efeitos desse licenciamento por meio de um inquérito civil público. Nessa investigação, o MPF está requisitando esclarecimentos ao Instituto Chico Mendes, gestor das unidades de conservação federais, sobre o cumprimento das condições das licenças de instalação pela Petrobras. O inquérito vai apurar quais medidas adotadas pela empresa têm sido importantes para minimizar potenciais impactos causados na APA de Guapimirim e na Estação Ecológica da Guanabara.

Fonte: Ministério Público Federal

terça-feira, 12 de maio de 2009

Protocolo Verde deverá orientar atuação de bancos

O Banco Central aderiu nesta terça-feira (12) ao Protocolo Verde, acordo firmado com bancos públicos e privados para a implementação de um pacote de medidas socioambientais no setor. A carta de intenções prevê, inclusive, que os bancos públicos deixem de financiar projetos e empreeendimentos que apresentem problemas ambientais.

No encontro ficou acertada uma nova reunião, desta vez incluindo a Federação dos Bancos do Brasil (Febraban), onde serão definidas as regras de acompanhamento dos primeiros resultados. As instituições vão produzir relatórios sobre as medidas sustentáveis que vêm adotando, de acordo com proposta que será analisada na próxima reunião.

Os representantes dos bancos apresentaram algumas ações socioambientais já implementadas. Para evitar lixo eletrônico, o Banco do Brasil está doando computadores obsoletos. Já o representante da Caixa disse que o banco colocou a sustentabilidade em primeiro plano e afirmou que já até perdeu antigos clientes por não terem a Licença Ambiental de Funcionamento.

O Protocolo Verde foi criado em 1995 e revisado em agosto do ano passado. A revisão contou com a participação de representantes de bancos e do governo federal.
No protocolo, que funciona como uma carta de intenções, os bancos se comprometem a empreender políticas e práticas bancárias que sejam precursoras, multiplicadoras, demonstrativas ou exemplares em termos de responsabilidade socioambiental.


Fonte: MMA

Iluminação artificial das cidades são prejudiciais a insetos, plantas e homens

Pesquisa do Instituto de Biociências (IB) da Universidade de São Paulo (USP)revelaram que a iluminação artificial sem controle é uma forma de poluição prejudicial aos insetos, plantas e seres humanos.

O estudo também demonstra que a adoção de filtros nas luminárias atrai menor número de insetos, reduzindo o contato do homem com os transmissores de doenças como a leishmaniose e a doença de Chagas.

Para avaliar os efeitos da poluição luminosa sobre os insetos e descobrir formas de controle, o pesquisador Alessandro Barghini, economista e doutor em Ecologia, que realizou o estudo, utilizou luminárias com um coletor acoplado. A lâmpada de vapor de sódio atraiu uma média de 40 insetos por noite, contra 67 da lâmpada de mercúrio.

De acordo com o pesquisador, as luminárias podem favorecer a contaminação da leishmaniose em regiões periféricas das grandes cidades. "As luzes atraem o inseto transmissor, que parasita cachorros e galinhas, que levam a doença para o homem", explica. Barghini acrescenta que a adoção de filtros nas luminárias, aplicados por deposição metálica no vidro de proteção da lâmpada, não encarece os custos de produção.

Fonte: site Inovação Tecnológica

Começa licitação para obras de saneamento de São Gonçalo e Itaboraí

A Secretaria Estadual do Ambiente (SEA)já deu início à licitação para a escolha da empresa que fará o estudo e a elaboração do projeto de saneamento. A vencedora será conhecida em junho e terá seis meses para apresentar o projeto de saneamento dos municípios de São Gonçalo e Itaboraí, na região metropolitana do Rio.

Após a apresentação do projeto, a SEA fará a licitação das obras, que devem começar no início do próximo ano. Os recursos, cerca de R$ 1,5 milhão, virão do Fecam.

Estão previstas a construção de redes de esgotamento sanitário,uma elevatória e uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) que atenderá aos bairros no entorno da bacia do Rio Alcântara, em São Gonçalo , e cerca de 50% do centro de Itaboraí. Só no município de São Gonçalo a obra beneficiará cerca de 1 milhão de pessoas.

Fonte: Ascom SEA

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Uerj vai dar bolsas de estudo a estudantes com projetos ambientais

Em evento que contou com a presença do ministro Carlos Minc, a Universidade do Rio de Janeiro (Uerj) lançou, na última sexta, um projeto para conceder 20 bolsas de estudo a estudantes graduandos que desenvolvam pesquisas dedicadas às questões ambientais. O projeto foi anunciado pelo reitor da entidade Ricardo Vieira Alves.

Minc esteve na Uerj para uma palestra sobre as mudanças climátimas e seus efeitos sobre a saúde. O ministro apresentou proposta do MMA de, até 2017, reduzir em 70% desmatamento na Floresta Amazônica, e aprovou a iniciativa da UERJ.

Fonte: Uerj

Brasil é campeão do mundo em destinação correta de embalagens de plástico vazias

A preocupação do setor agrícola brasileiro com o descarte correto das embalagens vazias de defensivos agrícolas trouxe resultados positivos para o país no primeiro quadrimestre de 2009. Entre janeiro e abril agricultores, indústria fabricante, distribuidores e cooperativas e poder público foram responsáveis pela destinação final de 8,1 mil toneladas de embalagens vazias, volume 2,3% maior do que o destinado no mesmo período do ano anterior (7,9 mil toneladas).

O Brasil lidera o ranking dos países que destinam corretamente as embalagens de fitossanitários, com percentual de 90%. Em segundo lugar está a Alemanha e, em terceiro, a França.

Os destaques deste primeiro qudrimestre são Alagoas (que destinou 23,6 toneladas, crescimento de 143%em relação a 2007), Goiás (com 1.017 toneladas, crescimento de 30%), Maranhão (211,6 toneladas, crescimento de 67%), Mato Grosso do Sul (555,9 toneladas, crescimento de 17,2%) e Tocantins (com 50,7 toneladas, volume 40% maior em relação a 2008).


Fonte: InPEV

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Frota de ônibus do Rio ganha 500 veículos adptados para deficientes




A frota de ônibus do Rio de Janeiro ganhou, nesta sexta-feira, 500 novos veículos totalmente adaptados para portadores de deficiência.

A chegada acontece a cinco meses do anúncio oficial da cidade que deverá sediar os Jogos olímpicos de 2016 e atende a uma das exigências do Comitê Olímpico: garantir acesso aos locais das competições a todas as pessoas.

A acessibilidade também é um quesito considerado importante pela Fifa para as cidades candidatas a sediarem jogos da Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil. Embora anúncio oficial das 12 cidades que sediarão os jogos esteja marcado para o fim do mês de maio, a escolha do Rio é dada com certa.

Reivindicação antiga das entidades representativas de portadores de deficiência e exigência de uma Lei Federal de 2000, os ônibus adaptados vão facilitar a locomoção não só de portadores de deficiência, mas também de idosos, gestantes e obesos. Dotados de elevador, rampa e outras adaptações, os novos ônibus serão distribuídos entre as 47 empresas que atuam na Cidade.

Segundo a Fetranspor, a maioria já está em uso e o restante deverá estar nas ruas nos próximos dias. Até o mês passado, a frota de 8 mil ônibus da cidade tinha apenas 47 veículos adaptados, ou seja, um para cada empresa. Todo veículo novo que sair das montadoras deverá trazer as adaptações.

Segundo o presidente da Fetranspor, Lelis Marcos Teixeira, os novos ônibus vão permitir que a população tenha um transporte público digno. "Esses veículos vão permitir que o cidadão saia de sua casa para trabalho, para a escola, com dignidade", disse. Ele revelou ainda que, até o final do ano, a cidade terá 1.500 ônibus novos adaptados e, até 2014, toda frota será composta desses veículos.

A cerimônia de entrega dos novos veículos, organizada pela Fetranspor e pela Rio Ônibus, aconteceu no Aterro do Flamengo e contou com as presenças do Prefeito Eduardo Paes; do Ministro das Cidades, Márcio Fortes; do Secretário Estadual de Transportes, Júlio Lopes; e do Secretário Municipal de Transportes, Alexandre Sansão, além de empresários do setor de transportes.

O Ministro Márcio Fortes anunciou ainda a liberação pelo Governo Federal de recursos do FGTS de R$ 1 bilhão para renovação das frotas urbanas no Brasil. Segundo o ministro, a liberação será feita através da Caixa Econômica Federal. Só para o Rio estão previstos investimentos em torno de R$ 600 milhões.

A presidente do Conselho Nacional de Defesa das Pessoas Portadoras de Deficiência e representante do Instituto Brasileiro de Defesa das Pessoas Portadoras de Deficiência (IBDPD), Ana Cláudia Monteiro, se disse feliz com a chegada dos veículos, mas revelou que ainda há muito a ser feito. "Pelo menos a gente consegue entrar, mas as pessoas que estão no ônibus são as primeiras a reclamar da demora. Desce elevador, sobe elevador e as pessoas ainda são muito mal educadas sobre isso, não têm a menor sensibilidade" contou.

Ana Cláudia disse ainda que outros meios de transporte, como o Metrô ainda têm que se adaptar. "Há uma promessa do Metrô de até 2010, todas as estações estarem acessíveis, mas falta um ano e nem um terço das estações são acessíveis", revelou.

O Prefeito Eduardo Paes disse que a cidade também será adaptada para atender à Legislação. "É impossível a Prefeitura fazer uma calçada que não tenha uma rampa. A Secretaria de Obras, junto com a Subsecretaria de Defesa dos Portadores de Deficiência, está criando um manual de procedimentos para todas as obras da Prefeitura. Não vai ter obra que não respeite a questão da acessibilidade", revelou.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Estação Ecológica de Tamoios realiza exposição na Semana do Meio Ambiente

A Estação Ecológica (Esec) de Tamoios, no Estado do Rio, realiza, durante a Semana do Meio Ambiente, de 1º a 5 de junho, uma exposição sobre o mosaico de unidades de conservação da Serra da Bocaina. A exposição será montada no Espaço Eletronuclear, em Angra do Reis (RJ). Entre os dias 4 e 5, a Esec dará um curso sobre a fauna da Mata Atlântica dirigido a professores da rede municipal de Paraty.

Mosaico é um modelo de gestão, previsto na Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, que reúne unidades concentradas em determinadas áreas. Integram o mosaico da Serra da Bocaina as seguintes unidades: Parque Nacional da Serra da Bocaina, Estação Ecológica de Tamoios, Área de Proteção Ambiental de Cairuçu (todas federais e no Estado do Rio), Área de Proteção Ambiental de Tamoios, Reserva Biológica Estadual da Praia do Sul, Parque Estadual Marinho do Aventureiro (todas no Rio e estaduais), Área de Proteção Ambiental Baia de Paraty, Paraty-Mirim e Saco do Mamanguá (no Rio e municipais), Parque Estadual da Serra do Mar, Parque Estadual Ilha Anchieta, Estação Ecológica de Bananal (todas em São Paulo e estaduais).

A proposta da exposição é que seja itinerante, rodando os municípios e unidades de conservação que puderem recebê-la. Depois de Angra, deverá ser montada na Casa de Cultura em Paraty. Em seguida, poderá ir para a Ilha Grande (RJ), que tem um bom espaço também onde funciona a sede do Parque Estadual da Ilha Grande. O roteiro itinerante deverá incluir também as unidades de São Paulo, que também integram o mosaico.


Fonte: ABN NEWS

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Seminário discute acesso de comunidades indígenas e quilombolas à àgua e esgoto

Apesar de o acesso a esgoto e água encanada ter crescido no Brasil na última década, comunidades isoladas como indígenas, quilombolas e membros de assentamentos agrários não são contados nas estatísticas. Um seminário que o PNUD realiza nesta quinta-feira (07/05), em Brasília, quer discutir formas de monitorar o atendimento sanitário nessas e em outras comunidades vulneráveis. O objetivo é estudar como garantir a saúde nessas áreas mesmo com a dificuldade de levar a rede de esgoto.


O seminário "Acesso à Àgua e ao Esgotamento Sanitário: a Vulnerabilidade Social no Âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio", que ocorre em Brasília, irá reunir membros do Ministério da Saúde, de universidades e de ONGs. O evento é aberto a ouvintes. Além dessas populações isoladas, o serviço de água e esgoto em favelas e áreas de risco também será estudado.

O seminário acontece na Sala Sérgio Vieira de Melo
EQSW 103/104 Lote 1 Bloco D – Setor Sudoeste
Brasília - DF

Fonte: Pnud

Muro Virtual ajuda a monitorar expansão irregular de favelas

A secretária estadual do meio Ambiente, Marilene Ramos, anunciou nesta quarta-feira que a tecnologia está ajundando o Governo do estado a monitorar invasão de áreas de proteção ambiental em encostas do Rio, com o uso de um "Muro Virtual". "A partir de imagens via satélite, a Secretaria está fazendo o controle da expansão de construções irregulares, na área do Maciço da Pedra Branca e no Morro da Babilônia. Trata-se de uma ferramenta muito útil para este tipo de trabalho e os primeiros resultados já serão divulgados no mês que vem", revelou a secretaria.

O anúncio foi feito durante a demolição de construções irregulares em áreas protegidas de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. A operação teve o apoio da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca) e de técnicos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), ambos da Secretaria do Ambiente, além de policiais do Batalhão Florestal e do 25º BPM e de fiscais da Prefeitura local.

As habitações estavam situadas em áreas de duna e restinga de Arraial do Cabo, o que configura crime ambiental. O trabalho começou pelo distrito de Monte Alto e vai continuar até o final da semana em outros bairros, como Figueira e Parque das Garças.

Marilene pediu à população que tome cuidado com a promessa de políticos que afirmam que podem legalizar construções em áreas protegidas por lei. As moradias já ocupadas e irregulares só serão demolidas após a remoção das famílias para casas construídas pela prefeitura local com apoio do governo estadual.

Fonte: Ascom SEA

Política Nacional de Resíduos Sólidos estabelece diretrizes para descarte de eletrodomésticos e lixo hospitalar

A V Feira Internacional de Resíduos Sólidos e Serviços Públicos, que aconteceu nesta quarta-feira (6), em São Paulo, foi palco de discussão a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que deve ir à votação no Plenário da Câmara dos Deputados ainda este mês.

O texto contém diretrizes para a gestão, o gerenciamento e o manejo dos resíduos. Além de inibir a produção de artigos perigosos ao ambiente e à saúde humana, o projeto de lei incentivará os fabricantes a adotarem tecnologias saudáveis para o desenvolvimento de produtos seguros e a adotarem procedimentos adequados para a destinação final dos rejeitos da produção desses produtos.

A discussão da PNRS pelo Congresso Nacional coincide com o a decisão do Governo Federal de baixar a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os chamados produtos da linha branca (geladeiras, fogões) e da abertura de linha crédito do Banco do Brasil para incentivar a aquisição de novos produtos. A questão que se coloca no momento é: para onde vão os eletrodomésticos que estão sendo substituídos.

Segundo Marcos Bandini, gerente de Projetos do Departamento de Ambiente Urbano da Secretaria de Recursos Hídricos do Ministério do meio Ambiente (SRHU), no momento, a questão do descarte ainda não afeta o meio ambiente devido ao grande número dw doaçõs dos produtos usados. Bandini explicou, no entanto, que a única alternativa para tratar este tipo e resíduo é o aperfeiçoamento e a aprovação pelo Congresso Nacional do Projeto de Lei 991, que aguarda votação.

O projeto traz princípios novos como a questão da logística reversa: "instrumento que se caracteriza por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a facilitar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos aos seus geradores para que sejam tratados ou reaproveitados em novos produtos, na forma de novos insumos, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, visando à não geração de rejeitos", conforme o texto do projeto de lei.

Uma outra novidade refere-se à questão dos resíduos especiais, como o lixo hospitalar, às embalagens consideradas resíduos perigosos e aos pneus, cujo recolhimento e destinação passariam a ser de responsabilidade das empresas e não apenas do poder público, como atualmente. Existe ainda criação da figura da empresa exclusivamente recicladora que tem por objetivo estimular a coleta seletiva e a reciclagem por meio de incentivos fiscais e tributários.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Artesanato de materiais reciclados em exposição na Central do Brasil

A SuperVia, concessionária que administra os trens urbanos no Rio de Janeiro, em parceria com a ONG Defensores da Terra, realiza uma exposição de objetos reciclados na estação Central do Brasil, de hoje (6) a sexta-feira (8). Na exposição, que acontece das 8h às 17h30, haverá cestas, móbiles, caixinhas e bijuterias confeccionadas com materiais reciclados, como por exemplo, jornais, filtros de café e fibras de bananeira.

O evento é parte do Programa de Educação Ambiental da SuperVia, que incentiva a reciclagem no público de crianças e adultos. Este é um dos principais focos do projeto, que dissemina a prática da coleta seletiva entre os moradores das comunidades próximas à linha férrea. Desta forma, os participantes aprendem uma fonte alternativa de renda e ainda contribuem para a preservação do meio ambiente.

Fonte: Ascom Supervia

terça-feira, 5 de maio de 2009

São Paulo sedia II Fórum Internacional de Comunicação e Sustentabilidade

Acontece nestas quarta e quinta-feiras (06 e 07 de maio), no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo, a 2ª edição do Fórum Internacional de Comunicação e Sustentabilidade, que discutirá ações, medidas e alternativas sustentáveis no Brasil e no mundo.

A discussão será permeada pelos conceitos descritos na Carta da Terra - documento criado em 2000 e que tem como premissas a preservação ambiental, o fim de todos os tipos de preconceitos, a união e a harmonia dos povos; além da sustentabilidade, como uma necessidade iminente ao desenvolvimento e preservação da espécie humana.

Entre os palestrantes está Edmund Phelps, Prêmio Nobel da Economia 2006; David Trimble, Prêmio Nobel da Paz de 1998; Mohan Munasinghe, Prêmio Nobel da Paz 2007; o líder indígena André Baniwa; a pacifista Monja Coen; o representante da UNESCO no Brasil, Vincent Defourny; o filósofo Mario Sergio Cortella; o intelectual colombiano Bernardo Toro; a educadora Terezinha Azerêdo Rios; o economista Luiz Gonzaga Belluzzo e o diretor da Vale, Demian Fiocca.


O evento será transmitido ao vivo pela internet, através do site www.comunicacaoesustentabilidade.com.

Fonte: Maxpressnet

SOS Mata Atlântica incentiva xixi no banho para economizar água

A nova campanha da SOS Mata Atlântica criada pela F/Nazca tem como objetivo a conscientização para aumentar, por meio de uma prática simples, o interesse de cada um na preservação do meio ambiente.

Aproveitando o espírito de engajamento do jovem brasileiro, a bem-humorada campanha visa alcançar uma economia de até 4.380 mil litros de água por ano. Como? Fazendo xixi no banho.

O lançamento da campanha coincide com o principal evento da SOS Mata Atlântica, o Viva a Mata, que acontece de 22 a 24 de maio, no Parque Ibirapuera, em São Paulo.

Dentre as peças da campanha, estão o site www.xixinobanho.org.br, e anúncios em jornais, TV e rádio.

Fonte: Maxpressnet

Educação ambiental para estudantes na Lagoa

Estudantes do Ensino Fundamental da Escola Parque, da rede particular de ensino, participam, nesta quarta-feira (06/05), de uma "aula ecológica", no Encontro das Águas, espaço da Secretaria Estadual do Ambiente (SEA) na Lagoa, Zona Sul do Rio.

Eles participarão de atividades de educação ambiental com oficinas e assistirão à exibição de vídeos ecológicos sobre a importância da preservação do ecossistema. A iniciativa, da Secretaria Estadual do Ambiente, terá apoio da Fundação Rio Águas, da Prefeitura do Rio.

Os alunos participarão de oficinas com peixes, com apoio da Colônia de pescadores Z-13; oficinas com plantas e mangues da Lagoa Rodrigo de Freitas, sob a supervisão de monitoras mestrandas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e terão oportunidade de conhecer o cotidiano dos pescadores da Colônia Z-13. Na próxima semana (11 e 12/05) será a vez de alunos do Colégio Estadual Ulysses Guimarães, de Curicica, Jacarepaguá, participarem das aulas.

Fonte: Ascom SEA

Conaje promove fórum para discutir gestão empresarial sustentável

Jovens empresários, representantes de governos e da sociedade, e estudantes estarão reunidos nos próximos dias 21 e 22 de maio no I Fórum Renovar de Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental, promovido pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários (Conaje), no Rio de Janeiro. Durante o evento serão realizadas palestras e discussões sobre a administração de negócios aliada ao respeito ao meio ambiente e à promoção da sustentabilidade.

Além de estimular nos participantes o desafio de praticar, no cotidiano pessoal e profissional, o princípio da sustentabilidade, o evento pretende, ainda, contribuir para o desenvolvimento de alianças intersetoriais para a área socioambiental, através dos encontros e workshops que serão promovidos, paralelamente ao Fórum.

NEntre os palestrantes estarão o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc; o presidente do Instituto Brasil Pnuma, Haroldo Mattos de Lemos; o deputado federal Fernando Gabeira; e o gerente executivo da Petrobras, Mozart Schmitt de Queiroz.

O evento acontece de 9h às 19h, na Associação Comercial do Rio de Janeiro (Rua da Candelária, 11, Centro – Rio de Janeiro – RJ).

Para mais informações clique aqui

Fonte: Conaje

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Estudo revela poluição emitida por navios

Os navios emitem um volume de poluentes particulados equivalente à metade da poluição emitida pela frota de veículos de todo o mundo. A conclusão é de de estudo inédito feito por cientistas da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos.

O estudo é o primeiro a calcular a poluição emitida pela frota marítima em termos globais a partir de medições diretas das emissões de particulados em navios em operação real.

Os autores estimam que os navios emitem cerca de 1.100 toneladas de poluição particulada globalmente a cada ano.

"Como mais de 70% do tráfego marítimo ocorre dentro da linha costeira de 250 milhas, esta é uma fonte significativa de preocupação em relação à saúde das populações costeiras," afirma Daniel Lack, que participou do estudo.

Fonte: site Inovação Tecnológica

Operação do Inea autua condomínio na Barra da Tijuca

Uma operação do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Ambiente do Rio de Janeiro, na última quinta-feira (30/04), autuou o condomínio Pedra de Itaúna, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, por despejar esgoto sem tratamento na Lagoa de Marapendi. A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do condomínio operava com metade da capacidade exigida pela Legislação.

A operação foi comandada por equipes da Superintendência Regional da Baía de Guanabara, da Gerência da Barra, técnicos da Coordenadoria de Fiscalização, analistas da Gerência de Licenciamento, Saneamento e Resíduos, além de contar com o apoio de técnicos da Gerência de Laboratórios do Inea. A equipe verificou que dois dos quatro sopradores (que promovem a aeração do esgoto) da ETE não estavam funcionando.

O condomínio tem até a próxima segunda-feira (11/05) para voltar a atender aos parâmetros da licença de operação e promova os devidos reparos, ou substitua os sopradores da ETE. Caso contrário, receberão multa, cujo valor pode variar entre R$ 300 e R$ 2 milhões.

Durante a vistoria, também foram coletadas amostras de efluentes dos condomínios Pontões da Barra, Barra Sul e Pedra de Itaúna. O material já está sendo analisado pelo Inea e o resultada sairá amanhã (05/05).

No caso do Pedra de Itaúna, o resultado já liberado da análise de Surfactante MBAS, vulgarmente conhecida como análise de detergente, apontou índice acima do padrão. Foram encontrados 3mg/l, quando o estabelecido como limite pela Norma Técnica 202 é de 2mg/l. O restante das análises também ficará pronto amanhã. Caso sejam constatadas infrações por poluição, os condomínios serão autuados e multados.

Fonte: Ascom SEA

Instituto EDP anuncia projetos sociais que serão patrocinados em 2009

O Instituto EDP, do grupo EDP Energias do Brasil, anuncia os nomes dos projetos sociais que receberão neste ano o patrocínio do programa EDP Solidária, que apóia organizações não-governamentais a colocar em prática ações sociais nas áreas de educação, assistência social e desenvolvimento regional. A cerimônia de anúncio acontecerá amanhã (05/05), na Câmara Portuguesa, em São Paulo.

Ao todo, 15 projetos foram selecionados dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Tocantins, áreas de atuação da EDP. As propostas escolhidas envolvem ações em diferentes segmentos, como cultura, saúde e educação.

O evento contará com presença do presidente da EDP Energias do Brasil, António Pita de Abreu e seus principais diretores, além de Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna e conselheira do Instituto EDP, e de Fábio Bibancos, presidente da Turma do Bem e do Instituto Bibancos.

Programação:
Evento: Anúncio dos projetos patrocinados pelo programa EDP Solidária, do Instituto EDP
Data: 05/05/2009
Horário: 18h30
Local: Consulado Geral de Portugal em São Paulo – São Paulo (Rua Canadá, 324 – Jardim Europa)

Fonte: A4 Comunicação