quinta-feira, 24 de setembro de 2009

COVARDIA: Massacre de golfinhos na Dinamarca celebra passagem de meninos à maturidade












Esta postagem é uma colaboração do colega jornalista Marcos Luca Valentin que, como nós, está revoltado e com vergomha de pertencer a essa raça que se julga a melhor do universo, o HOMEM.

O mar se tinge de vermelho na Dinamarca. Entretanto, não é devido aos efeitos climáticos da natureza.

Se deve à crueldade com que os dinamarqueses matam centenas dos famosos e inteligentíssimos Golfinhos Calderon.

Isso acontece ano após ano, na Ilha Feroe. Deste massacre participam principalmente jovens.

Por que?

Para demonstrar que estes mesmo jovens já chegaram à idade adulta, estão maduros.

TODOS PARTICIPAM DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA, matando ou vendo a crueldade. Apoiando-a como espectador.

Cabe mencionar que os golfinhos Calderon, como quase todas as outras espécies de golfinhos, se aproximam do homem unicamente para interagir e brincar, em gesto de pura amizade.

Eles não morrem instantaneamente, são cortados uma ou duas vezes com ganchos grossos. Nesse momento os golfinhos produzem um som estridente bem parecido ao choro de um recém-nascido.

Mas não há compaixão. O dócil animal sangra lentamente e sofre com feridas enormes, até perder a consciência e morrer afogado no seu próprio sangue.

Finalmente, estes heróis da ilha agora são adultos, racionais e direitos; já demonstraram sua maturidade.

Para tentar dar um basta, encaminhe estas fotos e este texto a todos que puder. Não podemos apenas assistir e aceitar.
Isso nos transformaria em cúmplices.
 
Cuide do mundo, ele é sua casa!

Parceria entre Disque-Denúncia Secretaria de Segurança do Rio contra crimes ambientais

A partir de agora, o Disque Denúncia passa a receber queixas de crimes contra o meio ambiente. A parceria com a Secretaria Estadual do Ambiente e com a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública foi formalizada esta semana.

A iniciativa tem o propósito de atender ao crescente número de denúncias contra crimes ambientais. Para chamar a atenção da população o governo do Estado vão lançar campanha publicitária sobre o serviço, que começa a ser veiculada nas rádios, a partir de hoje e, a partir do mês que vem, na TV.

Serão oferecidos de R$ 300,00 a R$ 1 mil por informações que ajudem a polícia a elucidar crimes ambientais.

Os telefones do Disque Denúncia são: 2253 1177, na capital e 0300 253 1177, no interior.

Desmatamento da Amazônia atinge 498 km² em agosto

O Ministério do Meio Ambiente divulgou nesta quinta-feira que o desmatamento na Amazônia atingiu cerca de 498 km² de floresta, em agosto. O total é 35% menor que o registrado no mesmo mês do ano passado. A área equivale a quase metade do município do Rio de Janeiro.

Já no acumulado ano, o desmatamento passou de 5.675 km2 entre janeiro e agosto de 2008 para 2.454 km2 no mesmo período de 2009.

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, atribuiu a redução à ação ostensiva do órgão contra o desmatamento. "O desmatamento caiu porque caímos em cima deles. Antes o crime compensava porque não tinha punição", afirmou. Para Minc, o ideal é que a queda seja resultado do financiamento e fornecimento de alternativas para o desenvolvimento sustentável da região. "Espero que este seja o último ano em que a queda depende de um esforço brutal para combater o desmatamento", disse.

Os números foram obtidos por meio do Deter, sistema de alerta baseado em satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que auxilia ações de fiscalização e controle do desmatamento.

Em agosto, o mecanismo apontou que 90% dos alertas foram confirmados como desmatamento. Destes, 73% foram classificados como corte raso, ou seja, completa retirada da floresta nativa, e 13% como floresta degradada de alta intensidade. Os demais indicaram áreas de degradação moderada ou leve.

Em agosto do ano passado a cobertura era de 23%. Neste ano, as nuvens se localizaram principalmente sobre o Amapá, com cobertura de 64% por nuvens, durante o mês. Do total de área desmatada, 301 km² foram registrados no Pará e 105 km² correspondem a desmatamento no Mato Grosso.

“O Pará continua na liderança muito forte. Isso significa que 60% do desmatamento está concentrado no Pará”, afirmou Minc.

O ministério destaca que, apesar da predominância, houve redução de 48% na área desmatada no Pará e de 15% no Mato Grosso, na comparação com agosto de 2008.

Minc ponderou que o Pará tem mais estradas, rebanhos de gado e atividade da indústria madeireira. O ministro informou que entrou em contato com a governadora do estado, Ana Julia Carepa, para definir ações conjuntas, especialmente no manejo pirata.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Desmatamento da Amazônia em agosto será divulgado amanhã

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, divulga nesta quinta-feira, o relatório do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Inpe, com os números do desmatamento registrados em agosto, na Amazônia. O Deter identifica e mapeia áreas desflorestadas na Amazônia Legal utilizando imagens dos satélites CBERS ou Landsat.

O levantamento é feito desde maio de 2004 e seus dados utilizados pela fiscalização no combate ao desmatamento. O Deter mapeia tanto o corte raso quanto áreas em processo de desmatamento por degradação florestal.

A reunião será às 14h30, em Brasília.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CRT distribui mudas para comemorar Dia da Árvore

Antecipando o “Dia da Árvore”, a Concessionária Rio-Teresópolis (CRT) distribuirá gratuitamente, neste sábado, a partir das 8h, mudas de hibiscus a quem passar pela praça de pedágio, em Piabetá, no sentido Teresópolis. A intenção é despertar a consciência ecológica e incentivar a preservação ambiental entre aqueles que moram ou visitam a Região Serrana.

Serão distribuídas cinco mil mudas de hibiscus rosa-sinensis, cultivadas no horto mantido pela empresa. Espécie nativa da região, o hibiscus foi escolhido por ser um marco “natural” da rodovia que usa a planta como barreira antiofuscante em vários trechos de seu percurso.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Dia Mundial da Limpeza. Participe com o Atitude Responsa

Atenção amigos, colaboradores e seguidores!!!!!
No próximo sábado (19/09) o Atitude Responsa vai participar do Dia Mundial da Limpeza, na Praia de Copacabana. O movimento, que tem como título original "Clean Up The World" nasceu na Autrália e, no Rio, acontece desde 2003. Este ano, as atividades acontecerão apenas em Copacabana, a partir das 9h. Se você quer participar conosco, responda já a esse post ou entre em contato pelo tel (21) 7826-8072.
Cada inscrito ganhará uma camiseta ecológica do Atitudde Responsa e um certificado de participação.
Faça contato agora e participe conosco!!!!!

Abraço a todos

Escolha seu carro pelo nível de poluição que ele provoca

O cidadão passa a contar com dois instrumentos para conhecer as emissões de gás carbônico e de outros poluentes por carros de passeios: a Nota Verde e o indicador de CO2 que o Ministério do Meio Ambiente e o Ibama lançaram esta semana.

Por enquanto, os dados disponíveis referem-se a modelos produzidos em 2008 e podem ser acessados pelos sites do ministério (www.mma.gov.br) ou do instituto (http://servicos.ibama.gov.br/ctf/publico/sel_marca_modelo_rvep.php). Brevemente, as mesmas informações sobre emissões dos carros fabricados em 2009 também serão divulgadas.

A Nota Verde, criada pelo Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores – Proconve/Ibama, varia numa escala de 0 a 10. Quanto maior a nota de um carro, menor o seu índice de emissão de monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio.

Já com o indicador de CO2, o consumidor obterá informações sobre emissão de gás carbônico por quilômetro rodado pelo carro. Mas, a escala vai de 5 a 10, com uma casa decimal de precisão. Aquele que emitir menos CO2 receberá nota 10.

Consulta
Para fazer uma consulta simples, basta informar o ano, a marca e o modelo e automaticamente serão fornecidas a Nota Verde, a emissão de CO2 e os dados de teste do carro. A Nota Verde permitirá ainda comparação simultânea de até três marcas/modelos de carro. Se preferir, informe apenas o ano e terá a lista completa de todos os veículos com as respectivas Notas Verdes em ordem decrescente.

O cálculo da Nota Verde envolve a média das emissões de três gases poluentes (monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio), medidos em testes de produção e comparados aos valores máximos de emissões permitidos em legislação específica do Proconve.

O indicador de CO2 não é resultado de uma fórmula de cálculo, mas representa uma classificação dos carros, segundo os valores de emissões medidos em testes de produção em 2008. Essa classificação envolverá apenas os carros a gasolina.

Como esse indicador considera as emissões provenientes de fontes não renováveis, foi desconsiderado nos seus cálculos o percentual de álcool que compõe a gasolina brasileira.

Não será divulgado indicador para carros a álcool, pois os Guias do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas de 2006 para inventários nacionais de gases de efeito estufa consideram que este combustível brasileiro produz emissão zero de CO2. O álcool é combustível renovável, diferentemente da gasolina.

A Nota Verde e o indicador de CO2 colocados à disposição do mercado ajudam o consumo consciente ao possibilitar comparar os automóveis e seus níveis de emissão de poluentes controlados. Antes, os tradicionais parâmetros de escolha restringiam-se a marcas e modelos, potência, consumo e tipo de combustível.

Os dois instrumentos também significarão um meio de estímulo ao setor automotivo pela busca de tecnologias ambientalmente mais adequadas para o desenvolvimento de motores, veículos e combustíveis.

Fonte: Ascom Ibama

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Cerrado é desmatado duas vezes mais que a Amazônia


Brasília - No Brasil, desmata-se uma área de 20 mil quilômetros quadrados de Cerrado a cada ano. Isso corresponde ao dobro do que é desmatado na Amazônia. A informação – antecipada hoje (10) pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, durante a abertura da Comissão Legislativa Participativa da Câmara dos Deputados – será detalhada durante a coletiva destinada a apresentar o primeiro monitoramento do desmatamento do Cerrado brasileiro.

“Há dez anos, segundo nossos dados, tanto na Amazônia como no Cerrado eram desmatados 20 mil quilômetros quadrados por ano. Felizmente conseguimos, por meio dos programas tocados pelo governo, reduzir pela metade o desmatamento no bioma amazônico. A má notícia é que ainda não conseguimos fazer isso pelo Cerrado”, disse Minc.

O ministro ressaltou a importância da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 115/95, que torna patrimônios nacionais o Cerrado e a Caatinga. “Já faz 14 anos que essa PEC está tramitando. É importantíssimo que estendamos o monitoramento do desmatamento também a outros biomas, como a Caatinga, o Pantanal e o Pampa.”

Segundo ele, será possível apresentar metas concretas visando à redução do desmatamento de todos os biomas a partir de junho de 2010. “A base do plano será apresentada ainda hoje. O Cerrado é fonte da maior parte do manancial de águas do país e não pode ser prejudicado pelo agronegócio”, acrescentou.


Agência Brasil